Banner - Pediatria - Colo aos bebes

Bebé Feliz… Pais Felizes!

Afinal, devemos dar colo aos bebés, ou não?

A gravidez e os primeiros meses de um bebé são fases muito sensíveis para o bebé e para os recém-pais. O que podemos fazer, então, para tornar estes meses verdadeiramente felizes?

O bebé humano é o mais social de todos os mamíferos, como tal, não foi programado para crescer sozinho. Um homem não é uma ilha… e um bebé sozinho não é!

Os bebés pequenos têm uma necessidade intrínseca de estar junto dos pais, uma vez que isto os faz sentir seguros e amados. Então, o que leva tantos pais a recusar o refúgio dos seus bebés no colo?! A crença, habitualmente veiculada por todos os que os rodeiam, de que lhe faz mal e que o irá tornar dependente do colo para o resto da vida…

Ora, para percebermos a importância que o contacto físico tem para os nossos bebés, é essencial compreender o seu desenvolvimento cerebral.

Quando nascem, os nossos bebés trazem mais amadurecidas as zonas mais primitivas essenciais à sua sobrevivência: as que controlam funções vitais do corpo como a respiração, a digestão, a circulação, a temperatura, entre outras; e a que controla as emoções fortes, como o medo, a raiva, a angústia de separação, mas também a vontade de nos relacionarmos uns com os outros, de construirmos relações sociais, de brincar e explorar, de amar e de cuidar. 

O seu cérebro superior (ou neocórtex), aquele que nos permite ter um pensamento racional, a capacidade de resolver problemas de forma lógica, é a zona do cérebro que nasce mais imatura. 

Compreendendo este processo, dificilmente poderemos continuar a afirmar que um bebé é “manhoso” ou que tem “vícios”! Como podemos nós, à luz do conhecimento atual, continuar a reproduzir a ideia de que os bebés pequenos seres maquiavélicos, que manipulam as mães a dar-lhes colo ou mama ou um embalo tranquilizador? Simplesmente a parte do cérebro que lhes permitiria esse pensamento elaborado não está ainda desenvolvida!

Então, o que podemos fazer para fazer um bebé e, já agora, os pais, mais felizes?

Quando os bebés se sentem seguros, libertam uma hormona – a ocitocina – que serve como fertilizante para o seu cérebro em desenvolvimento, ajudando-o a sentir-se mais feliz e, posteriormente, a ser uma criança (e adulto) mais confiante. Dar colo, tocar, cheirar, conversar com o bebé estimula a libertação de ocitocina tanto no bebé como nos pais, moldando, também, a arquitectura cerebral dos pais e ajudando-os a sentirem-se mais calmos e felizes!

Depois do bebé nascer é essencial fazer contacto pele com pele o mais cedo possível, pelo menos, até o bebé fazer a primeira mamada. Isto irá contribuir para o acalmar, dar-lhe uma oportunidade para descansar e para o manter aquecido. Irá também potenciar o processo de vinculação e a amamentação. 

Nos primeiros meses, se o bebé for mantido junto à mãe, esta vai perceber melhor os sinais que o seu bebé lhe dá antes de chorar: “tenho fome”, “dói-me a barriga”, “quero miminho”, “tenho saudades tuas”… Responder a estes sinais vai fazer com que o bebé se sinta seguro. 

Ter um bebé pequeno em casa pode ser desafiante. Porém, à medida que o tempo vai passando, todos vão começar a entender-se melhor. 

A ciência tem-nos vindo a mostrar que os bebés que vêem as suas necessidades atendidas, apresentam respostas mais adequadas aos desafios, demonstram menos sinais de stress e diminuem a necessidade de exacerbar o pedido (“chorar mais alto”). Tornam-se, posteriormente, crianças, adolescentes e adultos mais confiantes e autónomos que conseguem lidar melhor com os desafios que a vida lhes coloca.

Posto isto, vamos continuar com medo de dar colo aos nossos bebés? Não! Por favor, percam o medo de ser manipulados! Uma relação não se estabelece na base da desconfiança! Não há nada mais inocente que um bebé, porque havemos nós de não responder aos seus apelos?!

Drª. Inês Santos - Pediatra

Drª. Inês Santos
Pediatria

Coordenadora da Unidade de Pediatria da CSSMH

Logo - Centro do Bebe