Terapia Ocupacional

“A Terapia Ocupacional é a ciência que estuda a ocupação humana, considerando o ser humano um ser ocupacional. Esta profissão tem como principal objetivo facilitar e capacitar a pessoa para a ocupação, e assim promover autonomia, bem-estar e qualidade de vida.

A importância da ocupação nas nossas vidas é tanta que, muitas vezes definimo-nos por aquilo que fazemos, em vez de por quem somos.

Ocupação é um termo que vai para além da profissão que desempenhamos, implica o simples ato de nos vestirmos, lavar os dentes, conduzir, brincar com os nossos filhos, ouvir música até relaxar no sofá.

O Terapeuta Ocupacional intervém desde os recém nascidos até aos idosos, em áreas tão diversas como a saúde mental, a reabilitação física, a pediatria, a geriatria, entre outras.

Em todas estas situações o papel da Terapia Ocupacional é um só: “Aumentar a participação do indivíduo numa ocupação significativa”.

 

Terapia Ocupacional na Infância

Ao falar de crianças e ocupação, fala-se do BRINCAR, a principal ocupação das crianças. Esta é a maneira mais fácil de conhecer e compreender o mundo à sua volta, explorando os espaços e os objetos.

Brincar é um meio privilegiado para desenvolver a coordenação motora grosseira, coordenação motora fina, maturidade emocional, desenvolver as competências sociais, a linguagem e a cognição (atenção, a imitação, a memória, imaginação).

O Terapeuta Ocupacional inicia o seu trabalho pela avaliação e análise de quais as estruturas e/ou funções que comprometem o desempenho da criança e em seguida, após identificados os pontos fortes e as suas fragilidades, em parceria com os pais, definem-se os objetivos terapêuticos.

A intervenção é dirigida às competências motoras, cognitivas, sensoriais e sociais que limitam o sucesso da criança no desempenho e participação em áreas como: o brincar, vestir/despir, alimentação, aprendizagens, cumprimento de hábitos e rotinas, entre outros, nos diferentes contextos onde está inserida.

O terapeuta procura sempre ir ao encontro dos interesses da criança e manter níveis altos de motivação na realização das atividades. Pode também recorrer a material adaptado (brinquedos adaptados, por exemplo) e aconselhar produtos de apoio para aumentar e potenciar o desempenho da criança.

Trabalhando deste modo e em articulação com restante membros da equipa, torna-se possível trazer os verbos “fazia”, “podia”, “estava” para o presente: “Faço”, “Posso” e “Estou”!

 

Fechar

Pedido de
marcação feito!

Obrigado por ter escolhido
a Casa de Saúde.

Verifique por favor o seu e-mail.
Se não receber nada, contacte-nos!